Compartilhe:

Rio Verde-Goiás, Capital do Agronegócio!



02/08/2019


 

5 de agosto de 2019. Parabéns Rio Verde pelos 171 anos de progresso.

 

Historia

Rio Verde está localizada no sudoeste do estado, era, antes da colonização, território dos Índios Caiapós. 

Com a ocupação do sudoeste Goiano no início do Século XIX com a isenção de pagamento de impostos por 10 anos pela Lei nº 11 para criadores de gado bovino e equino na região sul de Goiás, por volta do ano de 1840, chegam a região José Rodrigues de Mendonça, sua esposa, Florentina Cláudia de São Bernardo e filhos que se estabeleceram a seis léguas de Rio Verde, no que viria a ser a Fazenda São Tomás.
Em 25 de agosto de 1846, José Rodrigues e sua mulher doaram sete sesmarias de suas terras para o patrimônio da Igreja e construção de uma capela em louvor a Nossa Senhora das Dores, A partir daí, surgiu o Arraial de Nossa Senhora das Dores do Rio Verde. Em 5 de agosto de 1848, através da Lei Provincial, a Vila foi elevada à categoria de Distrito de Rio Verde.
De acordo com a Lei nº 08 de 6 de novembro de 1854, o povoado de Dores do Rio Verde foi elevado à categoria de Vila.
Distante 220 km da capital Goiânia, Rio Verde tem como municípios vizinhos, Caiapônia, Montividiu, Paraúna, Quirinópolis, Cachoeira Alta, Aparecida do Rio Doce, Castelândia, Maurilândia, Santa Helena de Goiás, Santo Antônio da Barra e Jataí. Ocupando uma área de 2,5% do território goiano, e com uma população de 229.651
pessoas, segundo dados do IBGE (2018), Rio Verde deu seu primeiro salto na economia a partir da década de 70, com a abertura dos cerrados à agricultura e a chegada das estradas pavimentadas que a ligam a Goiânia e Itumbiara. A agricultura começou a florescer e atraiu produtores do sul e do sudeste do país. Também vieram agricultores americanos que fundaram uma colônia. Todos eles trouxeram maquinários, tecnologias, recursos e experiências que transformaram o município em um dos maiores produtores de grãos de Goiás e um dos destaques do país.
O município de Rio Verde é o mais populoso do sul do Estado de Goiás e seus habitantes representam a quarta maior aglomeração populacional do Estado, ficando atrás apenas da capital, Aparecida de Goiânia e Anápolis. Segundo estimativa populacional do IBGE, a população do município de Rio Verde presenciou um crescimento populacional de mais de 36%, valores acima da média do Estado, o que reflete a grande atratividade decorrente da oferta de empregos gerada pela agroindústria e toda uma cadeia produtiva desencadeada a partir deste setor da economia.

Atividade Econômica
No recente crescimento do agronegócio brasileiro, a cidade de Rio Verde tem se destacado por contar com uma importante estrutura agroindustrial, tendo iniciada a partir da fundação da Cooperativa Agrícola (COMIGO) em 1975 e depois com a chegada da Cargill, Grupo Cereal, Brejeiro e hoje com a BRF que agregam valor à sua produção agrícola.

A produção agrícola do município é cerca de 1,2 milhões de toneladas por ano nas mais variadas culturas, como arroz, algodão, soja, milho, sorgo, milheto, feijão, girassol.

Rio Verde é o maior produtor de grãos do Estado de Goiás, maior arrecadador de impostos sobre produtos agrícolas e centro difusor de novas tecnologias. Conhecido como a “Capital do Agronegócio”, é responsável direto por aproximadamente 1,2% de toda a produção nacional de grãos, com uma área cultivada superior a 378.853 hectares.

O município destaca-se como o maior produtor de soja e sorgo do Estado, segundo no cultivo do milho e terceiro em produção de feijão. Conta ainda com o plantio de culturas como: arroz, algodão, milheto e girassol.
Esses números na agricultura de Rio Verde são resultados da utilização de tecnologia de ponta, de primeira linha, com armazéns de capacidade superior a 1 milhão de toneladas em unidades modernas, seguras e cada vez mais próximas dos campos produtores – o que reduz os custos e facilita o transporte – aliadas à profissionalização do produtor e à união da classe produtora em diferentes entidades

Rio Verde foi o primeiro município no Estado a implantar a Central de Recebimento de Embalagens de Defensivos Agropecuários, licenciada pelos órgãos ambientais e que atua num raio de 200 quilômetros. Seu objetivo é reduzir a poluição ambiental.
No que diz respeito ao comércio e serviços, Rio Verde possui um comércio forte e competitivo, suficiente para atender a demanda da população local e regional. Há uma boa estrutura de agências bancárias, supermercados, farmácias, lojas de vestuários e agrícolas, dois shoppings funcionando, duas grandes redes atacadistas e um dos maiores parques industriais do Centro-Oeste (O SIMPE- Setor Industrial Municipal de Pequenas Empresas) dando suporte ao comércio do município.

Infraestrutura
O município de Rio Verde conta com rede de água, esgoto, vias pavimentadas, energia elétrica, segurança e telecomunicações, o que retrata a preocupação com a qualidade de vida de seus habitantes. Esta estrutura constantemente está sendo ampliada para atender o crescente aumento da demanda gerada pelo grande fluxo de pessoas que migram para o Município.
Sua malha viária urbana atualmente ultrapassa 400 quilômetros de extensão, cobrindo toda a cidade, que conta com mais de quatro milhões de m² de asfalto. Cerca de 60 mil linhas telefônicas entre fixas e móveis e celulares atendem às necessidades do município. A cidade conta com cinco emissoras de rádio, duas emissoras de TV, duas redes de TV a cabo e uma central da Embratel instalados do município.
A oferta de energia elétrica é suficiente para atender a cidade e a chegada de novas indústrias. Duas subestações (uma da Enel e outra de Furnas) fornecem energia para que Rio Verde possa atrair cada vez mais empresas como a Perdigão e continuar no seu ritmo crescente de desenvolvimento.
A coleta regular de lixo alcança quase 90% dos domicílios do município de Rio Verde. Quanto ao sistema de transporte, Rio Verde possui uma volumosa malha viária. Isto se deve principalmente ao escoamento dos produtos agrícolas do seu expressivo polo agropecuário. Além das estradas asfaltadas, também muitas vias vicinais encontram-se em bom estado.
Rio Verde possui um aeroporto com pista asfaltada com 1500 x 30 metros de extensão, com balizamento noturno e terminal de passageiros. O município agrega também várias pistas de pouso para pequenas e médias aeronaves, as quais são utilizadas por frotas de aviões agrícolas, muito usados no manejo das culturas da região.

Localização e Clima
Rio Verde está localizado na microrregião Sudoeste do Estado de Goiás, Centro-Oeste brasileiro. A cidade fica a 220 km de Goiânia, capital do Estado, e a 420 km de Brasília, capital do Brasil. A distância de Uberlândia é de 335 km e de São Paulo, 921 km.
Suas coordenadas são: latitude (S) – 17° 47’ 53’’; longitude (W) – 51° 55’ 53’’. Sua topografia é plana levemente ondulada com 5% de declividade, com altitude média de 748m, e o clima apresenta duas estações bem definidas: uma seca (de maio a outubro) e outra chuvosa (novembro a abril). A temperatura média anual varia entre 20°C e 35°C. A vegetação é constituída de cerrado e matas residuais. Seu solo é do tipo latossolo vermelho escuro com texturas argilosa e areno-argilosa.
Hoje, com 8.379,661 km² de extensão territorial e aos 170 anos de existência, Rio Verde tem registrado em sua história, gloriosas páginas de luta, de trabalho e de talento. Se seu passado foi grandioso, o futuro se apresenta confirmando a vocação da cidade em continuar crescendo em todos os sentidos.
Cada vez mais o município é atrativo para novas empresas e grandes indústrias sem abandonar a atividade que deu início à sua história de sucesso: a agropecuária, cada vez mais moderna e tecnificada. Atualmente, Rio Verde é mais do que uma grande cidade de Goiás, é um polo econômico que cresce junto com o Brasil.

 




Abastecer com Álcool ou gasolina?
Micro e Pequenas Empresas estão isentas de contribuição sindical patronal
Obrigatoriedade do Código de defesa do consumidor no comércio.
Conta-salário, Como funciona?
Férias – Não tem direito a férias o funcionário que:


Mídia Marketing Direcionado - 2008
Daniel José