Compartilhe:

Regime de caixa e regime de competência: entenda as diferenças



17/05/2017


 vida de um empresário é tão atribulada que muitas vezes ele acaba não conseguindo dar a atenção que gostaria para a gestão financeira do seu negócio. No entanto, essa é uma das áreas mais cruciais para o bom andamento de qualquer empresa e uma avaliação bem-feita é a maneira pela qual o empreendedor pode melhorar o funcionamento, ajustar o caixa e até medir o próprio sucesso.

Dentro desse contexto, os relatórios são fundamentais para uma consciência completa da real situação do empreendimento. E o administrador pode analisá-los sob dois prismas, cada um com suas especificidades: o regime de caixa e o regime de competência. Por isso, é muito importante saber diferenciá-los.

Quer compreender um pouco melhor esses dois métodos? Então acompanhe este artigo e aprenda um pouco mais sobre eles! Confira:

Regime de caixa

O método de regime de caixa é considerado mais simples de ser implementado e, talvez por isso, é o mais comum de ser achado em nossas empresas. Sua característica principal é levar em conta as receitas e gastos na data de seu recebimento ou de seu pagamento, não considerando o momento no qual elas foram efetivamente realizadas. É através dele que se analisa o fluxo de caixa, por exemplo.

Em linhas gerais, ele funciona da seguinte maneira: se o empreendimento paga um gasto em parcelas, ele será computado apenas no momento em que cada uma delas for realmente paga, a cada mês. O mesmo vale para o recebimento em parcelas: as receitas só serão consideradas quando forem efetivamente recebidas, independentemente do momento em que a venda for concretizada.

É mais ou menos assim que funciona uma conta bancária, por exemplo. Ele traz uma boa vantagem se pensarmos em termos de liquidez, pois só considera o dinheiro que a empresa realmente possui em caixa. Isso é importante para manter a capacidade de honrar os compromissos e reduz as chances de projeções erradas.

Regime de competência

Embora o regime de caixa seja mais fácil de se implementar, o regime de competência também é muito utilizado e possui boas vantagens. Especialmente quando o empreendimento atinge um tamanho considerável e precisa gerar relatórios constantes da área financeira para parceiros, credores ou acionistas, essa estratégia pode ser muito positiva.

A contabilidade feita através do regime de competência representa de forma mais fiel a situação financeira da empresa, porque os gastos são considerados quando forem gerados e não quando forem pagos. O DRE (Demonstrativo de Resultados do Exercício), um dos relatórios de gestão mais importantes, é confeccionado exatamente pelo regime de competência. Através dele é possível saber se houve lucro ou prejuízo em determinado período de tempo. Em suma, o método considera os gastos no período de realização, não considerando nesse momento o recebimento efetivo de receitas ou pagamentos.

Independentemente de parcelar em 10 vezes, por exemplo, o lançamento é do valor total, no momento que o evento aconteceu. A contabilidade define como regime de competência aquele no qual o registro ocorre na data do fato gerador.

Exemplos básicos de lançamentos

Exemplo 1

Digamos que gastamos R$ 200,00 com energia elétrica em janeiro, sendo que o pagamento será realizado em fevereiro.

Regime de competência
JaneiroFevereiroMarçoAbrilMaioJunho
R$ 200,00
         
Regime de caixa
JaneiroFevereiroMarçoAbrilMaioJunho
 
R$ 200,00
       

Exemplo 2

Supondo que um funcionário tem para receber R$ 1.200,00 de décimo terceiro, sendo que R$ 600,00 serão pagos em novembro e os outros R$ 600,00 em dezembro.

Regime de caixa
JaneiroFevereiroMarçoAbrilMaioJunho
 
         
JulhoAgostoSetembroOutubroNovembroDezembro
       
R$ 600,00
R$ 600,00
Regime de competência
JaneiroFevereiroMarçoAbrilMaioJunho
R$ 100,00
R$ 100,00
R$ 100,00
R$ 100,00
R$ 100,00
R$ 100,00
JulhoAgostoSetembroOutubroNovembroDezembro
R$ 100,00
R$ 100,00
R$ 100,00
R$ 100,00
R$ 100,00
R$ 100,00

Gastos como assinaturas de jornais e revistas, férias, seguro, licenciamento e IPVA normalmente seguem este mesmo padrão.

Exemplo 3

No mês de março aconteceu um abastecimento do veículo no valor de R$ 155,00, que foi pago à vista no mesmo mês:

Regime de caixa
JaneiroFevereiroMarçoAbrilMaioJunho
   
R$ 155,00
     
Regime de competência
JaneiroFevereiroMarçoAbrilMaioJunho
   
R$ 155,00
     

As duas formas possuem vantagens e não é uma questão de escolha: cada uma servirá para dar uma visão diferente do negócio ao gestor.

Asseinfo




Abastecer com Álcool ou gasolina?
Micro e Pequenas Empresas estão isentas de contribuição sindical patronal
Obrigatoriedade do Código de defesa do consumidor no comércio.
Conta-salário, Como funciona?
Férias – Não tem direito a férias o funcionário que:


Mídia Marketing Direcionado - 2008
Daniel José