Compartilhe:

Dilma vetou a correção de 6,5% da tabela do Imposto de Renda



21/01/2015


A presidente Dilma Rousseff vetou a correção de 6,5% da tabela do Imposto de Renda, medida que vai obrigar mais gente a pagar o tributo e, com isso, aumentar a arrecadação do governo.

O Congresso tinha aprovado a correção de 6,5% em dezembro e quem recebesse até R$ 1903,98 estaria isento do Imposto de Renda, mas a presidente Dilma Rouseff argumentou que essa correção faria o governo deixar de arrecadar R$ 7 bilhões.

O veto foi publicado no Diário Oficial desta terça-feira (20). O Palácio do Planalto concluiu que a perda de arrecadação violaria a Lei de Responsabilidade Fiscal.

O governo deve editar agora uma Medida Provisória com correção da tabela de 4,5%, o mesmo aplicado nos últimos oito anos. A isenção continua valendo para quem recebe até R$ 1787,77.

O Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Federal criticou o veto.

Nos cálculos da entidade, o reajuste do imposto acumula defasagem de 74%, desde 1996. O resultado, segundo o sindicato, é que mais contribuintes acabam mordidos pelo Leão.

O comentarista de economia do Hora 1, Carlos Alberto Sardenberg, explica os efeitos desse veto da presidente no bolso do trabalhador. Confira a análise no vídeo com a reportagem completa.

Fonte: G1




Abastecer com Álcool ou gasolina?
Micro e Pequenas Empresas estão isentas de contribuição sindical patronal
Obrigatoriedade do Código de defesa do consumidor no comércio.
Conta-salário, Como funciona?
Férias – Não tem direito a férias o funcionário que:


Mídia Marketing Direcionado - 2008
Daniel José