Compartilhe:

Real tem o melhor desempenho do ano entre as principais moedas do mundo



22/02/2013


Comparado com o dólar, moeda brasileira já apresenta valorização de 4,9% em 2013; iene tem a pior desvalorização, com recuo de 7,3%

 

O ano começou com uma mudança na estratégia do governo em relação ao mercado cambial. Após utilizar diferentes mecanismos no ano passado, elevando as cotações do dólar comercial visando uma maior competitividade para a indústria nacional, o Banco Central agora foca na inflação, que desde o fim do ano tem apresentado valores acima do esperado.

 

Desde o fim de janeiro, a moeda norte-americana atingiu um patamar abaixo de R$ 2,00, o que, além de indicar o câmbio como "arma" de controle da inflação, ajudou o real a apresentar a maior valorização entre as principais moedas do mundo.

 

No fim do ano passado o real disputava com o iene japonês a posição de pior moeda do mundo, devido à diversas intervenções do governo, que chegou a elevar o patamar da moeda para R$ 2,13 no início de novembro. Neste ano, também por conta da participação do governo, a moeda brasileira já apresenta uma valorização de 4,9% ante o dólar, enquanto a divisa do Japão segue na ponta oposta, com desvalorização de 7,3%, segundo dados da Bloomberg.

 

Inflação pode manter o dólar abaixo de R$ 2,00

 

Nas últimas semanas, após o dólar comercial atingir a casa de R$ 1,95, o Banco Central voltou a intervir, realizando leilões de swap cambial reverso - que equivalem a uma compra futura de dólares - e deu a entender que este deve ser o piso para a moeda, pelo menos por enquanto, segurando quedas maiores da divisa.

 

Outro fator que poderia evitar uma queda maior no câmbio foi a notícia de que o governo elevaria a taxa de juros nos próximos meses, como forma de controle da inflação. Porém, nesta terça-feira (19), o cenário mudou, após declarações do presidente do Banco Central, Alexandre Tombini e notícias na imprensa.

 

Em matéria do jornal Estado de S.Paulo, uma fonte não identificada afirmou que o Copom (Comitê de Política Monetária) "avalia que a inflação vá diminuir ao longo do ano", sugerindo a possibilidade de manutenção dos juros em 2013. Ainda de acordo com o jornal, por enquanto, o plano do Banco Central é elevar os juros apenas em 2014.

 

Com isso, a dólar comercial voltou a registrar queda na terça-feira, atingindo sua mínima em 9 meses, e fechando a R$ 1,9550 na venda, com queda de 0,41%, se aproximando do teto informal de R$ 1,9500. Essa notícia faz com que investidores voltem a crer que o dólar segue como mecanismo de controle da inflação, e ajuda a segurar as cotações em valores abaixo de R$ 2,00.

 

Nesta quarta-feira (20), às 15h45 (horário de Brasília), a divisa operava com alta de 0,33%, aos R$ 1,9615. O movimento reflete e possibilidade de atuação do Banco Central caso o dólar fique abaixo dos R$ 1,95.

 

Fonte: Infomoney




Abastecer com Álcool ou gasolina?
Micro e Pequenas Empresas estão isentas de contribuição sindical patronal
Obrigatoriedade do Código de defesa do consumidor no comércio.
Conta-salário, Como funciona?
Férias – Não tem direito a férias o funcionário que:


Mídia Marketing Direcionado - 2008
Daniel José